Vitamina C: um suplemento promissor para a cicatrização de lesões musculoesqueléticas

Pesquisas recentes lançaram luz sobre o benefício potencial da vitamina C (ácido ascórbico) como suplemento para aumentar a síntese de colágeno e facilitar a cicatrização de tecidos moles após lesões musculoesqueléticas.

Atualmente, sabemos que a vitamina C desempenha um papel essencial na cicatrização do tecido conjuntivo, atuando como cofator da prolil hidroxilase e da lisil hidroxilase. Além de sua função na síntese de colágeno, a vitamina C atua como um potente antioxidante, neutralizando espécies reativas de oxigênio (ROS) prejudiciais responsáveis pela apoptose celular durante a fase inflamatória.

Após a lesão musculoesquelética, observou-se que a ativação de células inflamatórias causa uma superprodução de ROS, resultando em estresse oxidativo prejudicial. O estresse oxidativo é definido como um desequilíbrio entre ROS e antioxidantes, criando um ambiente de cura hostil que afeta negativamente a viabilidade e a proliferação de células produtoras de colágeno recrutadas e, por fim, promove a apoptose.

É nesse ponto que a vitamina C desempenha um papel crucial como antioxidante, neutralizando as ROS por meio de reações redox, aliviando o estresse oxidativo causado pela inflamação.

Estudos pré-clínicos realizados até o momento indicam que a vitamina C é eficaz na redução do estresse oxidativo após uma lesão, reduzindo as EROs, o que resulta em melhor qualidade do tecido em ligamentos, tendões e ossos. Ela também acelera a cicatrização óssea após fraturas e aumenta a síntese de colágeno tipo I. A duração dos estudos variou de 3 dias a 6 semanas.

Apesar desses resultados animadores, é importante observar que as evidências clínicas relacionadas com lesões musculoesqueléticas não reproduziram totalmente os efeitos observados em modelos animais. Além disso, observou-se que altas doses de vitamina C administradas por via oral (≥1000 mg/dia) não proporcionam benefícios diretos, nesta área de estudo, em comparação com os grupos de controle. Surpreendentemente, doses baixas (60 mg/dia) de vitamina C administrada por via oral apresentaram diferenças significativas nos biomarcadores ósseos em comparação com os controles.

No geral, existem dados limitados sobre a eficácia do suplementação de vitamina C após lesões musculoesqueléticas Até o momento, nenhum efeito adverso associado à suplementação de vitamina C foi relatado em modelos animais ou em participantes humanos.

Dada a escassez de estudos em humanos, são necessárias mais pesquisas clínicas antes que a vitamina C possa ser considerada um suplemento padrão após lesões musculoesqueléticas. Seu potencial continua promissor, mas a dose adequada e o momento da administração devem ser mais bem investigados para determinar sua eficácia no contexto da cicatrização de lesões.

 

Referência:

DePhillipo NN, Aman ZS, Kennedy MI, Begley JP, Moatshe G, LaPrade RF. Efficacy of Vitamin C Supplementation on Collagen Synthesis and Oxidative Stress After Musculoskeletal Injuries: A Systematic Review. Orthop J Sports Med. 2018 Oct 25;6(10):2325967118804544. doi: 10.1177/2325967118804544.

Pós-graduações: (11) 98980-1238 Outros assuntos: (11) 94626-1560