Explorando fitoquímicos antidiabéticos das plantas frutíferas

O diabetes é uma doença metabólica altamente prevalente em todo o mundo. Apesar da disponibilidade de vários medicamentos antidiabéticos no mercado para tratar a hiperglicemia, os medicamentos sintéticos têm vários efeitos colaterais indesejáveis.

Nesse contexto, os fitoquímicos antidiabéticos isolados de plantas, especialmente de origem frutífera, surgiram como uma opção promissora para o tratamento do diabetes, tendo menos efeitos colaterais. De fato, aproximadamente 80% dos fármacos são extraídos diretamente de plantas ou de seus derivados modificados.

Os medicamentos fitoterápicos tradicionais e os alimentos funcionais melhoram as síndromes diabéticas por meio do aumento da secreção e da sensibilidade à insulina, da inibição da absorção de glicose no intestino e das propriedades anti-inflamatórias. Além disso, uma revisão recente de Alam S et al. menciona outros mecanismos, como a inibição da α-glicosidase, da α-amilase e da enzima DPP-4, o aumento da sensibilidade e da secreção de insulina, o aumento da absorção de glicose pelas células musculares e adiposas e a nutrição das células β do pâncreas.

A banana-da-terra (Musa sapientum L.) é uma fruta tropical que contém vários fitoquímicos bioativos, como antocianinas, ácidos fenólicos, flavanonas e terpenoides. Estudos in vitro revelaram que o uso do extrato seco de banana-da-terra foi associado a efeitos antidiabéticos, como o aumento da captação de glicose e a inibição de enzimas que digerem carboidratos.

Outro exemplo é o uso de sementes de ameixa. De acordo com estudos compilados por Baliga et al., a administração de 4 a 24 g de pó de semente de ameixa preta a 28 pessoas com diabetes mostrou um efeito hipoglicêmico ao reduzir os níveis médios de glicose sérica em jejum e pós-prandial. Da mesma forma, em 30 indivíduos com diabetes tipo 2 sem complicações, a ingestão de 12 g de pó de semente de ameixa preta durante um período de três meses, dividido em três doses diárias, demonstrou um efeito anti-hiperglicêmico significativo.

Outro estudo mostrou que a administração oral de 5 g de folhas de marmelo de Bengala (Aegle marmelos (L.) durante um mês em 10 pacientes com diabetes tipo 2 teve um efeito significativo na redução dos níveis de açúcar no sangue antes e depois das refeições. Da mesma forma, em quatro grupos que compreendiam um total de 120 indivíduos com diabetes tipo 2, foi observada uma tendência a uma redução substancial nos níveis de açúcar no sangue em jejum após a ingestão de 2 g de pó de folhas e 2 g de uma combinação em pó de polpa e sementes de marmelo de Bengala por três meses.

Em resumo, os fitoquímicos antidiabéticos de plantas frutíferas demonstraram eficácia promissora no tratamento do diabetes. Esses compostos naturais representam uma alternativa potencialmente segura para pesquisas futuras, e a exploração dessas opções naturais pode abrir novas perspectivas no controle do diabetes e melhorar a qualidade de vida das pessoas afetadas.

 

Bibliografía

Alam S, Sarker MMR, Sultana TN, Chowdhury MNR, Rashid MA, Chaity NI, Zhao C, Xiao J, Hafez EE, Khan SA, Mohamed IN. Antidiabetic Phytochemicals From Medicinal Plants: Prospective Candidates for New Drug Discovery and Development. Front Endocrinol (Lausanne). 2022 Feb 24;13:800714. doi: 10.3389/fendo.2022.800714. PMID: 35282429; PMCID: PMC8907382.

Pós-graduações: (11) 98980-1238 Outros assuntos: (11) 94626-1560